Saúde geral e sintomas depressivos em universitários.

Palabras clave: Depressão, Saúde mental, Testagem psicológica, Validade, Depression, Mental health, Psychological testing, Validity,

Resumen

O presente estudo teve como objetivo principal buscar evidências de validade baseada na relação com outras variáveis para a Escala de Depressão- EDEP com o Questionário de Saúde Geral –QSG-60, avaliando também se os grupos diferenciariam quanto ao sexo, faixa etária, nível sócio econômico ou histórico de doença mental na família. Participaram deste estudo 98 universitários, com idade média de 25,8 anos (DP= 7,72). Correlações moderadas entre os instrumentos foram encontradas, indicando que a presença de transtornos mentais comuns encontra-se relacionada ao aumento de sintomas depressivos. Ainda, sexo, faixa etária, classe sócio econômica e histórico de doença mental na família não diferenciaram os escores de saúde geral e sintomas depressivos.The present study aimed to find evidence of validity based on the relationship with variables of the Depression Scale-EDEP with the General Health Questionnaire-GHQ-60, controlling for gender, age, socio-economic status, and history of mental illness in the family. A total of 98 students with a mean age of 25.8 years (SD = 7.72) were studied. Moderate correlations between instruments were found, indicating that the presence of common mental disorders is related to increased depressive symptoms. Furthermore, sex, age, social class and economic history of mental illness in the family did not differentiate the scores of general health and depressive symptoms. 

Biografía del autor/a

Adriana Munhoz Carneiro, Universidade São Francisco.
Psicólogo. Discente do curso de Pós-Graduação Stricto Sensu – Mestrado em Psicologia da Universidade São Francisco, Itatiba, SP; bolsista CAPES.
Makilim Nunes Baptista, Universidade São Francisco.
Psicólogo. Doutor pelo Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina (UNIFESP); Docente do Programa de Pós-Graduação Strico-Sensu em Psicologia da Universidade São Francisco – Itatiba, SP; bolsista Produtividade pelo CNPq.

Citas

American Psychiatric Association (2002). Manual Diagnóstico e Estatístico de transtornos mentais: DSM IV TR. Tradução de Cláudia Dorneles. (4ª ed.). Porto alegre: Artmed.

American Psychological Association (2005). Men: a different depression [on line]. Disponível em:http://www.apa.org/research/action/men.aspx. Acesso em: 13 jul. 2011.

American Educational Research Association [AERA], American Psychological Association [APA], Nacional Council on Measurement in Education [NCME] (1999). Standards for Educational and Psychological Testing. Washington, DC: American Educational Research Association.

Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa [ABEP] (2010). Critério de Classificação Econômica Brasil. Disponível em: http://remonato.pro.br/documents/Crit%C3%A9rio%20de%20Classifica%C3%A7%C3%A3o%20Econ%C3%B4mica%20Brasil%20-%20ABEP%202010.pdf. Acesso em: 1.1.11.

Bahls, S-C. (2000). Uma visão geral sobre a doença. Revista InterAÇÃO, 4, 61-73.

Baptista, M. N. (2009). Escala de Depressão- EDEP. Relatório Técnico não Publicado. Programa de Pós graduação Strictu Senso em Psicologia. Universidade São Francisco.

Baptista, M. N., & Carneiro, A. M. (2008, maio) Relações entre depressão, percepção do suporte familiar e desesperança. Trabalho apresentado no XIV Encontro de Iniciação Científica, Universidade São Francisco, Bragança Paulista, São Paulo.

Baptista, M. N., Carneiro, A. M., & Sisto, F. F. (2010). Estudos Psicométricos de Escalas de Depressão (EDEP e BDI) e o Inventário de Percepção de Suporte Familiar – IPSF. Psicologia em Pesquisa, 4(1):65-73.

Beck, T. A., Rush, J. A., Shaw, F. B., & Emery, G. (1982). Terapia cognitiva da Depressão. Rio de Janeiro: Zahar.

Borine. B. (2009). Escala de Depressão (EDEP) e Bateria Fatorial de personalidade: Evidências de Validade. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós- Graduação Stricto Sensu em Psicologia, Universidade São Francisco, Itatiba.

Cerchiari, E. A., Garcia, D. S., & Facenda, O. (2009). Estudo do perfil sociodemográfico e da prevalência de Transtornos mentais menores em estudantes de turismo da UEMS/ Unidade de Dourados. Turismo em Análise 20(3), 563-567.

Cerchiari, E. A. N., Caetano, D., & Faccenda, O. (2005). Prevalência de transtornos mentais menores em estudantes universitários. Estudos de Psicologia, 10(3), 413-420.

Conselho Federal de Psicologia –CFP (2012). Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos- SATEPSI. Conselho. Disponível em: http://www.pol.org.br/satepsi/. Acessoem: 22. jun. 2010.

Derogatis, L. S., & Lynn, L. L. (1999). Psychological tests in screening for Psycriatric Disorder. In: M. E. Mariush. The use of psychological testing for treatment planning and outcomes assessment (2a. ed.). New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates.

Ferster, C. B., Culbertson, S., & Boren, C. P. (1977). Princípios do comportamento. (Maria Ignez Rocha e Silva, Maria Alice de Campos Rodrigues e Maria Benedita Lima Pardo, Trad.). São Paulo: Hucitec.

Freeman, A., Simon, K., Beutler, L. E., & Arkowitz, H. (1989). Comprehensive Handbook of Cognitive Therapy. New York: Plenun Press.

Gomes, J. O. (2009). Escala de Depressão (EDEP) e medidas de Atenção e Transtornos de sono. Dissertação de Mestrado, Programa de PósGraduação Stricto Sensu em Psicologia, Universidade São Francisco, Itatiba, 96p.

Gotlib, I. H., & Hammen, C. L. (2009). Handbook of depression. 2a. Ed. New York: The Guilford Press.

Gouveia, V. V., Chaves, S. S. S., Oliveira, I. C. P., Dias, M. R., Gouveia, R. S. V., & Andrade, P. R. (2003). A utilização do QSG-12 na população geral: estudo de sua validade de construto. Psicologia teoria e pesquisa 19(3), 241-248.

Guic, E., Bilbao, M. A., & Bertin, C. (2002). Estrés Laboral y salud en una muestra de ejecutivos chilenos. Revista médica de Chile, 130(10), 1101-1112.

Gujardo, L. C., & Cadena, D. M. G. (2012). Alteraciones de salud en estudiantes de licenciatura en enfermería. Revista Electrónica de Investigación en Enfermería, 1(1), 16-21.

Izadinia, N., Amiri, M., Jahromi, R. G., & Hamidi, S. (2010). A study of relationship between suicidal ideas, depression, anxiety, resiliency, daily stresses and mental health among Tehran university students. Procedia Social and Behavioral Sciences, 5, 1515-1519.

Kinder, L. S., Bradley, K. A., Katon, W. J., Ludman, E., McDonell, M. B., & Bryson, C. L. (2008). Depression, posttraumatic stress disorder, and mortality. Psychossomatic Medicine, 70, 20-26.

Kornstein, S. G. (1997). Gender Differences in Depression: Implications for Treatment. Journal of Clinical Psychiatry, 58(supl15), 12-18.

Kposowa, A. J., & McElvain, J. P. (2006). Gender, plale and method of suicide. Society of Psychiatry Epidemiology, 41, 435-443.

Laffer, B., & Vallada Filho, H. P. (1999). Genética e fisiopatologia dos transtornos depressivos. Revista Brasileira de Psiquiatria, 21(1). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1 51644461999000500004&script=sci_arttext. Acesso em: 21 jun. 2011.

Morgan, R. O., Byrne, M. M., Hughes, R. B., Petersen, N. J., Taylor, H. B., Robinson-Whelen, S., Hasche, J. C., & Nosek, M. A. (2008). Do secondary conditions explain the relationship between depression and health care cost in women with psysical disabilities? Archives of Physical Medicine and Rehabilitation, 89, 1880-1886.

Organização Mundial da Saúde –OMS (1993). Classificação Internacional de Doenças – CID10. Porto Alegre: Artes Médicas.

Ozabaci, N. (2010). Quality of life as a predictor of depression. Procedia Social na Behavioral Sciences, 2, 2457- 2462.

Panzarella, C., Alloy, L. B., & Whitehouse, W. G. (2006). Expanded Hopelessness Theory of Depression: On the mechanisms by which social support protects against depression. Cognitive Therapy Res., 30, 307-333.

Pasquali, L. (1999). Instrumentos psicológicos: manual prático de elaboração. Brasília: LabPAM; IBAPP. 306p.

Pasquali, L., Gouveia, V. V., Andriola, W. B., Miranda, F. J., & Ramos, A. L. M. (1994). Questionário de saúde geral de Goldberg (QSG): adaptação brasileira. Psicologia teoria e pesquisa, 10(3), 421-437.

Prieto, G., & Muniz, G. (2000). Un modelo para evaluar la calidad de los tests utilizados en España. Disponível em: http://www.cop.es/vernumero.asp?id=41. Acesso em: 03 nov. 2010.

Sá Junior, L. S. de M. (2004). Desconstruindo a definição de saúde. Jornal do Conselho Federal de Medicina. Disponível em: http://www.dis.unifesp.br/pg/DefSaude.pdf. Acesso em: 05. jan. 2011.

Santos, M. J., & Kassouf, A. L. (2006). Uma estimativa econométrica do retorno da educação para a saúde mental dos brasileiros: escolaridade versus depressão. Acesso em: 18. mai. 2008. Disponível em: http://www.cepea.esalq.usp.br/pdf/educacao_depressao.pdf.

Sciliar, M. (2007). História do Conceito de Saúde. Revista de Saúde Coletiva, 17(1), 29-41.

Segre, M., & Ferraz, F. C. (1997). O conceito de saúde. Revista de Saúde Pública, 31(5), 538-542.

Sobocki, P., Ekman, M., Agren, H., Krakau, I., Runeson, B., Martensson, B., & Jonsson, B. (2007). Health- related quality of life measured with EQ- 5D in Patients Treated for Depression in Primary Care. International Society of Pharmacoeconomics and Outcomes Research –ISPOR, 10(2), 153-160.

Souza, M. S. de, Baptista, M. N., & Alves, G. A. S. (2008). Suporte familiar e saúde mental: evidencia de validade baseada na relação entre variáveis. Aletheia, 28,32-44. [on line]. Disponível em: [. Acesso em: 13 jul. 2011.

Urbina, S. (2007). Fundamentos da Testagem Psicológica. Porto Alegre: Artmed.

Vindel, A. C., Salguero, J. M., Wood, C. M., Dangil, E., & Latorre, J. M. (2012). La depresión en atención primaria: prevalencia, diagnóstico y tratamiento. Papeles del Psicologo, 33(1), 2-11.

Watkins, K. E., Burnam, M. A., Orlando, M., Escarce, J. J., Huskamp, H. A., & Goldman, H. H. (2009). The health value and cost of care for major depression. International Society for Pharmacoeconomics and Outcomes Research, 65-72.

World Health Organization – WHO (2006). Conquering Depression. Mental Health and Substance Abuse. Recuperado em: 10 abr. 2008. Disponível em http://www.searo.who.int.

World Health Organization [WHO] (2000). WHO initiative on Depression in Public Health. On Line. Recuperado em 30 de Abril, 2008, de http://www.who.int.
Publicado
2016-11-24
Cómo citar
Munhoz Carneiro, A., & Nunes Baptista, M. (2016). Saúde geral e sintomas depressivos em universitários. Salud & Sociedad, 3(2), 166-178. https://doi.org/10.22199/S07187475.2012.0002.00004
Sección
Artículos

Artículos más leídos del mismo autor/a