Las leyes de drogas en brasil y su relación en la producción de políticas de identidad: un análisis de los procesos de estigmatización y promoción de la alteridad, desde la perspectiva de la psicología social crítica

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.22199/S07187475.2011.0002.00002

Palabras clave:

Psicología social, leyes de drogas, política de identidad, reducción de daños, Social psychology, drug laws, politics of identity, harm reduction,

Resumen

Este artículo tiene como objetivo presentar un análisis, en la perspectiva de la psicología social crítica, de las leyes de drogas en Brasil y su relación con la producción de las políticas de identidad que producen estigmatización o la promoción de la alteridad. Con este fin, presentaremos 1) el desarrollo de las leyes de drogas y su relación con las políticas de reglamentación de la venta y la represión del consumo, 2) los avances y retrocesos a lo largo del siglo XX en Brasil de las leyes de drogas, especialmente la separación entre adicto y traficante de drogas, y la relación posterior con el Estado, derecho y medicina, 3) las transformaciones de la política de la identidad dirigida a los consumidores de drogas, sobre todo después de los años de 80 y de la aplicación de la Política y Estratégia de Reducción del Daños (RD). El artículo permitirá a la comprensión tanto de los marcos jurídicos que ayudan a crear y justificar en el espacio publico las estratégias de regulación de drogas en Brasil y la aplicación de políticas de identidad estigmatizadoras dirigidas a los usuarios de drogas, como tambiém presentará los posibles avances en la aplicación de la política de reducción de daños.This article aims to present an analysis, in Critical Social Psychology perspective, about the drug laws published in Brazil and its relation to the production of stigmatizing politics of identity and the promotion of alterity. For this purpose, will be presented 1) the development of drug laws and their relationship with the regulatory policies of the sale of drugs and repression of use, 2) the advances and setbacks of drug laws along the twentieth century, especially the separation of the characters: addicted and drug dealer and the subsequent relationship between state, law and medicine, 3) the transformations of politics of identity directed at drug users, especially after the years of 1980 and the implementation of the Policy and Strategy for Harm Reduction. The article will enable the understanding of the legal frameworks that helped to create and justify in Brazilian public sphere the drug enforcement strategies and stigmatizing politics of identity directed to drug users. It will reveal the achieved advances with the implementation of the Harm Reduction policy.

Biografía del autor/a

Aluísio Ferreira de Lima, Universidade Federal do Ceará.

Psicólogo com Pós-Doutorado, Doutorado e Mestrado em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP) e Especialista em Saúde Mental pela Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EEUSP). Professor Adjunto do Setor de Psicologia Social do Curso de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Ceará (UFC). Bolsista de Produtividade em Pesquisa FUNCAP. 

José Umbelino Gonçalves Neto, Universidad Federal do Ceará.

Graduado em Letras (Português e Literaturas Vernáculas) pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e atualmente graduando em Psicologia nessa mesma universidade. Bolsista de iniciação científica FUNCAP

Meire Silva de Lima, Universidad Federal do Ceará.

Graduada em Ciências Sociais pelo Centro Universitário Fundação Santo André. Bolsista de Apoio Técnico pela FUNCAP na Universidade Federal do Ceará (UFC)

Citas

Amaral, I. S. (2000). A sociedade de consumo e a produção da toxicomania. Dissertação de Mestrado em Psicologia Social, Pontifícia
Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Amarante, P. (1998). Loucos pela vida: a trajetória da reforma psiquiátrica no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz Editora.

Amarante, P. (2007). Saúde Mental e Atenção Psicossocial. Rio de Janeiro: Fiocruz Editora.

Brasil. (1824). Constituição Política do Império do Brazil de 25 de março de 1824. Rio de Janeiro. 1824. Recuperado em 2 junho, 2011, de
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao24.htm.

Brasil. (1851). Decreto n. 828, de 29 de setembro de 1851. Manda executar o Regulamento da Junta de Hygiene Publica. In Collecção das Leis do Império do Brasil de 1851, tomo XIV, parte II, pp. 259-275.
Rio de Janeiro: Typographia Nacional. Recuperado em 2 junho, 2011, de http://www.camara.gov.br/Internet/InfDoc/conteudo/colecoes/Legislacao/Legimp-39_29.pdf e de http://www.camara.gov.br/Internet/InfDoc/conteudo/colecoes/Legislacao/Legimp-39_30.pdf.

Brasil. (1921). Decreto n. 4.294 de 6 de julho de 1921. Estabelece penalidades para os contraventores na venda de cocaina, ópio, morphina e seus derivados; crêa um estabelecimento especial para internação dos intoxicados pelo alcool ou substancias venenosas; estabelece as fórmas de processo e julgamento e manda abrir os
creditos necessarios. In Colecção das Leis da República dos Estados Unidos do Brasil de 1921, vol. 1, Actos do Poder Legislativo, janeiro a dezembro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional. pp. 273-275. Recuperado em 2 junho, 2011, de http://www.camara.gov.br/internet/InfDoc/novoconteudo/legislacao/republica/Leis1921v1-674p/pdf30.pdf. e de http://www.camara.gov.br/internet/InfDoc/novoconteudo/legislacao/republica/Leis1921v1-674p/pdf31.pdf.

Brasil. (1921). Decreto n. 14.969 de 3 de setembro de 1921. Approva o regulamento para a entrada no paiz das substancias toxicas, penalidades impostas aos contraventores e sanatorio para toxicomanos. In Colecção das Leis da Republica dos Estados Unidos do Brasil de 1921, vol. 5, Actos do Poder Executivo, setembro a novembro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional. pp. 7-14. Recuperado em 2 junho, 2011, de http://www.camara.gov.br/internet/InfDoc/novoconteudo/legislacao/republica/leis1921v5-512p/pdf-04.pdf. e de http://www.camara.gov.br/internet/InfDoc/novoconteudo/legislacao/republica/leis1921v5-512p/pdf-04-a.pdf.

Brasil. (1923a). Decreto n. 4.665 de 24 de janeiro de 1923. Considera de utilidade publica a Liga Nacional contra o Alcoolismo e outras instituições. In Colecção das Leis dos Estados Unidos do Brasil de 1923, vol. 1, Actos do Poder Legislativo, janeiro a dezembro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional. p. 112. Recuperado em 2 junho, 2011, de http://www.camara.gov.br/Internet/InfDoc/novoconteudo/Legislacao/Republica/leis1923v1-290pag/pdf-14a.pdf.

Brasil. (1923b). Decreto n. 4.778 de 27 de dezembro de 1923. Considera de utilidade publica a Liga Brasileira de Hygiene Mental, com séde nesta Capital. In Colecção das Leis dos Estados Unidos do Brasil de 1923, vol. 1, Actos do Poder Legislativo, janeiro a dezembro. Rio de
Janeiro: Imprensa Nacional. p. 197. Recuperado em 2 junho, 2011, de
http://www.camara.gov.br/Internet/InfDoc/novoconteudo/Legislacao/Republica/leis1923v1-290pag/pdf-23.pdf.

Brasil. (1934). Decreto n. 24.559 de 3 de julho de 1934. Dispõe sôbre a profilaxia mental, a assistência e proteção á pessôa e aos bens dos psicopatas, a fiscalização dos serviços psiquiátricos e dá outras
providências. Rio de Janeiro. Recuperado em 2 junho, 2011, de
http://www6.senado.gov.br/legislacao/ListaTextoIntegral.action?id=20366.

Brasil. (1936). Decreto n. 780 de 28 de abril de 1936. Crêa a commissão permanente de fiscalização de entorpecentes. Diário Oficial, Poder Executivo, Rio de Janeiro. Recuperado em 2 junho, 2011, de
http://www6.senado.gov.br/legislacao/ListaNormas.action?numero=780&tipo_norma=DEC&data=19360428&link=s.

Brasil. (1938). Decreto-Lei n. 891, de 25 de novembro de 1938. Aprova a Lei de Fiscalização de Entorpecentes. Coleção das Leis do Brail, Poder Executivo, Rio de Janeiro. Recuperado em 2 junho, 2011, de http://www.planalto.gov.br/ccivil/DecretoLei/1937-1946/Del0891.htm.

Brasil. (1964). Decreto n. 54.216 de 27 de agosto de 1964. Promulga a Convenção Única sôbre Entorpecentes. Diário Oficial, Poder Executivo, Brasília. Recuperado em 2 junho 2011, de http://www6.senado.gov.br/legislacao/ListaNormas.action?numero=54216&tipo_norma=DEC&data=19640827&link=s.

Brasil. (1968). Decreto-Lei nº 385, de 26 de dezembro de 1968. Dá nova redação ao artigo 281 do Código Penal. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF. Recuperado em 2 junho, 2011, de
https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/1965-1988/Del0385.htm.

Brasil. (1971). Lei n. 5.726, de 29 de outubro de 1971. Dispõe sobre medidas preventivas e repressivas ao tráfico e uso de substâncias
entorpecentes ou que determinem dependência física ou psíquica e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília. Recuperado em 2 junho, 2011, de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/1970-1979/L5726.htm.

Brasil. (1976). Lei n. 6.368, de 21 de outubro de 1976. Dispõe sobre medidas de prevenção e repressão ao tráfico ilícito e uso indevido
de substâncias entorpecentes ou que determinem dependência física ou
psíquica, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília. Recuperado em 2 junho, 2011, de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6368.htm.

Brasil. (2001). Lei n. 10.216, de 6 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília. Recuperado em 2 junho, 2011, de
https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10216.htm.

Brasil. (2002a). Relatório Final da III Conferência Nacional de Saúde Mental. Brasília: Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde.

Brasil. (2002b). Lei n. 10.409, de 11 de janeiro de 2002. Dispõe sobre a prevenção, o tratamento, a fiscalização, o controle e a repressão à produção, ao uso e ao tráfico ilícitos de produtos, substâncias ou drogas ilícitas que causem dependência física ou psíquica, assim elencados pelo Ministério da Saúde, e dá outras providências. Diário
Oficial da União, Poder Executivo, Brasília. Recuperado em 2 junho, 2011, de https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10409.htm.

Brasil. (2010). Relatório Final da IV Conferência Nacional de Saúde Mental. Brasília: Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Saúde.

Brasil. (2003). Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Secretaria de Atenção a Saúde. Coordenação Nacional DST/AIDS. A Política do Ministério da Saúde para Atenção Integral a Usuários de Álcool e Outras Drogas. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2005). Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. Documento apresentado à Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental: 15 anos depois de Caracas. Brasília: OPAS.

Brasil. (2004). Álcool e redução de danos: uma abordagem inovadora para países em transição. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2006). Lei nº 11.343, de 23 de agosto de 2006. Institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas - Sisnad; prescreve medidas para prevenção do uso indevido, atenção e reinserção social de usuários e dependentes de drogas; estabelece normas para repressão à produção não autorizada e ao tráfico ilícito
de drogas; define crimes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília. Recuperado em 2 junho, 2011, de
https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11343.htm.

Cunha, J. P. P. & Cunha, R. E. (2007). Sistema Único de Saúde – SUS: Princípios. In N. M. N. Moyses (Org.). Políticas Públicas e Gestão do Trabalho em Saúde. [Apostila – Unidade I do Curso de Especialização em Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde]. Rio de Janeiro: FIOCRUZ.

Escohotado, A. (1997). A proibição: princípios e conseqüências. In M. M. Ribeiro & S. D. Seibel (Org.). Drogas: a hegemonia do cinismo (pp. 29-46). São Paulo: Memorial.

Foucault, M. (2009). A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: NAU Editora.

Foucault. M. (1999). Os Anormais. São Paulo: Martins Fontes.

Galdóz, J. S. (2008). El estigma del drogadicto. In R. G. Fernández (Org.). Psicosociología del estigma: ensayos sobre la diferencia, el
prejuicio y la discriminación (pp. 211-240). Madrid: Universitas.

Galeano, E. (1998). Patas arriba: La escuela del mundo al revés. Madrid: Siglo Veintiuno de España Editores.

Goffman, E. (1988). Estigma: Notas sobre a Manipulação da Identidade Deteriorada. Rio de janeiro: Zahar.

Gonçalves Neto, J. U. & Lima, A. F. (2010). Reconhecimento social, identidade e linguagem: primeiros fragmentos de uma pesquisa sobre perspectivas teóricas atuais no contexto da Psicologia Social. In Revista Psicologia e Saúde, 2(1), 90-97. Recuperado em 5 fevereiro, 2011, de http://www.gpec.ucdb.br/pssa/index.php/pssa/article/view/40.

Habermas, J. (2010). Fundamentação Linguística da Sociologia: Obras
Escolhidas (Vol. 1). Lisboa: Edições 70.

Lima, A. F. (2005). A dependência de drogas como um problema de Identidade: Possibilidades de apresentação do EU por meio da oficina-terapêutica de teatro. Dissertação de Mestrado em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Lima, A. F. (2010a). Metamorfose, Anamorfose e Reconhecimento Perverso: a identidade na perspectiva da psicologia social crítica.
São Paulo: FAPESP; Educ.

Lima, A. F. (2010b). Os movimentos progressivos-regressivos da reforma psiquiátrica antimanicomial no Brasil: uma análise da saúde mental na perspectiva da Psicologia Social Crítica. In Revista Salud
& Sociedad, Chile, 1(3), 165-177. Recuperado em 5 fevereiro, 2011, de
www.saludysociedad.cl/index.php/main/article/download/24/50.

Macrae, E. (2008). Aspectos Socioculturais do Uso de Drogas e Políticas de Redução de Danos. Recuperado em 10 novembro, 2010, de http://www.neip.info/downloads/edward2.pdf. Rede Brasileira de Redução de Danos - REDUC. (sem data). Rede +: Cartilha da Reduc de Redução de Danos. Fascículo 2. São Paulo: REDUC.

Rodrigues, T. (2003). Política de Drogas e a Lógica dos Danos. In Revista Verve, São Paulo, Nu-Sol/PUC-SP, 3(1), 257-277. Recuperado em 7 novembro, 2010, de www.neip.info/downloads/t_tia3.pdf.

Rodrigues, T. (2004). Política e drogas nas Américas. São Paulo: Educ.
São Paulo. (1911). Decreto estadual n? 2.141, de 04 de novembro de 1911. Reorganiza o Serviço Sanitario do Estado. São Paulo, Brasil. Secretaria de Estado dos Negocios do Interior. Recuperado em 2 junho, 2011, de http://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/decreto/1911/decreto%20n.2.141,%20de%2014.11.1911.htm.

Totugui, M. L. (2009). Possibilidades integradoras da redução de danos na perspectiva da complexidade – estudo teórico clínico no contexto da psicoterapia de dependentes de drogas. Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica e Cultura, Universidade de Brasília, Brasília, DF,
Brasil.

Velho, G. (1997). Drogas, Níveis de Realidade e Diversidade Cultural. In M. M. Ribeiro & S. D. Seibel (Org.). Drogas: a hegemonia do cinismo (pp. 71-89). São Paulo: Memorial.

Publicado

2016-11-17

Cómo citar

Ferreira de Lima, A., Gonçalves Neto, J. U., & Silva de Lima, M. (2016). Las leyes de drogas en brasil y su relación en la producción de políticas de identidad: un análisis de los procesos de estigmatización y promoción de la alteridad, desde la perspectiva de la psicología social crítica. Salud & Sociedad, 2(2), 135-149. https://doi.org/10.22199/S07187475.2011.0002.00002

Número

Sección

Artículos